IluminaçãoIluminação residencialMaterial elétrico

Tipos de lâmpada: qual a diferença entre fluorescente, incandescente, halógena e LED?

Na hora de escolher entre os tipos de lâmpadas para cada ambiente da sua casa, você sabe exatamente qual comprar? Na verdade, a primeira pergunta seria: você sabe quais tipos de lâmpada existem no mercado? 

Se a sua resposta foi não para alguma dessas perguntas, continue a leitura! No bloh de hoje, vamos conhecer os principais modelos e aprender qual se encaixa melhor para cada finalidade. Tudo de forma clara e sem mistério. Confira!

Lâmpada incandescente

A lâmpada incandescente é a mais antiga dos tipos de lâmpadas. Esse é o modelo mais tradicional que conhecemos: luz amarela e pouca iluminação. Mas, quando surgiu, o modelo foi visto como uma das maiores invenções da história da humanidade. 

Lâmpada incandescente

As lâmpadas incandescentes possuem luz amarela e baixa eficiência energética.

Nas lâmpadas incandescentes, a energia elétrica passa por meio de um filamento de metal que, quando aquecido, gera a luz. O problema é que, nesse processo, grande parte da energia se perde em forma de calor.

Por isso, esse tipo de lâmpada aquece o espaço, consome muita energia e gera pouca luz. Além disso, sua vida útil também é curta — aproximadamente 1.000 horas. Por isso, esse modelo tem sido cada vez mais substituído por lâmpadas mais sustentáveis e econômicas.

Lâmpadas fluorescentes

As lâmpadas fluorescentes estão entre os tipos de lâmpadas mais comuns e existem desde 1938. Em comparação às incandescentes, elas consomem apenas 80% da energia e duram mais de 20x mais — até 24 mil horas.

Lâmpada incandescente

As lâmpadas fluorescentes podem durar até 20x mais que as incandescentes.

Essas lâmpadas geram luz a partir da reação de gases, como o vapor de mercúrio, em contato com a energia elétrica. Como não geram calor, elas são mais econômicas, mais duráveis e têm melhor eficiência energética.

É comum encontrarmos lâmpadas fluorescentes brancas, por isso, elas também são conhecidas como “luz fria”. Entretanto, também existe esse tipo de lâmpada na cor amarela, mais parecida com a incandescente.

Para a iluminação da cozinha, por exemplo, o ideal é usar tonalidades mais claras. Já para a iluminação da sala ou do quarto, a luz suave e amarela é a melhor opção.

Lâmpada de halogênio

A lâmpada de halogênio é um tipo de lâmpada entre a incandescente e a fluorescente. 

No geral, elas oferecem uma redução de até 40% no consumo de energia em relação às incandescentes, mas não alcançam tanta potência quanto as fluorescentes. Sua vida útil também é intermediária, podendo durar aproximadamente 2 mil horas.

Lâmpada halógena

As lâmpadas halógenas são intermediárias entre incandescentes e fluorescentes.

Para acender, esse tipo de lâmpada faz uso de um halogênio, como bromo ou iodo, que reage com o fio de tungstênio para gerar a luz. Por isso, elas também geram um pouco de calor no cômodo.

As lâmpadas de halogênio caem bem para iluminação decorativa em pontos específicos, pois possuem um facho de luz direcionado. Elas funcionam bem em artigos específicos, como luminárias de teto, de chão ou abajures.

Lâmpadas de LED

Não é à toa que as lâmpadas de LED estão entre os tipos de lâmpadas mais vendidos do mercado: elas são eficientes, econômicas, duradouras e podem ser utilizadas tanto na decoração quanto na iluminação principal.

Principais tipos de lâmpadas: Lâmpada LED

Atualmente, a lâmpada de LED é o modelo com melhor custo benefício do mercado.

Esse tipo de lâmpada funciona a partir de um diodo emissor de luz em contato com a corrente elétrica. Ou seja, não geram calor, consomem até 90% menos energia e não prejudicam o meio ambiente pois são 100% recicláveis.

Além disso, as lâmpadas de LED podem durar até 100 mil horas, o que faz com que elas sejam os modelos com o melhor custo benefício do mercado e as mais indicadas para iluminação residencial.

Elas ainda oferecem um quê decorativo, já que estão disponíveis em diversos modelos, como fitas de LED, spots de LED, refletores e muito mais.

Lâmpada inteligente

As lâmpadas inteligentes, também conhecidas como lâmpadas smart, são o que temos de mais moderno entre os tipos de lâmpadas. Elas possuem luz, cor, temperatura e intensidade totalmente reguláveis por aplicativos de celular via Wi-Fi ou Bluetooth.

Algumas opções permitem, inclusive, agendar um horário para ligá-la ou desligá-la, conectar dispositivos com saída de áudio e enviar imagens para a câmera de vigilância integrada de um smartphone. Tudo por meio do smartphone.

Lâmpada inteligente

As lâmpadas inteligentes podem ser controladas por meio de aplicativos no celular.

Por possuírem tantas funcionalidades, as lâmpadas inteligentes podem ser boas opções para a iluminação do quarto, por exemplo, onde é preciso realizar diferentes tipos de atividades.

Qual é o melhor tipo de lâmpada?

A escolha certa entre os tipos de lâmpada vai depender do que você deseja com a iluminação e com o ambiente. Em termos de economia, não há como negar que a lâmpada de LED é a melhor alternativa. Mas ela é a ideal para espaços que pedem mais aconchego? Talvez não. 

Se procura algo para uma decoração original, criando pontos focais, por exemplo, a melhor opção pode ser outra.

Em todo caso, apresentamos os tipos de lâmpadas para as finalidades mais comuns que você pode ter na sua casa. Posto isso, ficou fácil decidir qual é a melhor, certo? 

Agora basta clicar aqui e conferir nossa seção de lâmpadas com as melhores marcas e modelos com frete grátis para todo o Brasil!

Autor deste artigo

Empresa multinacional brasileira de venda e distribuição de Materiais Elétricos, Equipamento de Segurança, Infraestrutura de Rede, CFTV, Serviços Industriais, Automação e Iluminação que atende em todo o Brasil.
Leia também
Iluminação

Slim Perform da Philips: Tecnologia, Conectividade e Economia para o seu Negócio

Material elétrico

Instalação Elétrica: Qual a Importância de Utilizar Emendas e Terminações de Qualidade?

Iluminação

Conheça as Principais Soluções para Melhorar a Eficiência Energética em Indústrias

AutomaçãoIluminação

Automação residencial para o varejo: o que muda com a retomada do público?